as autoridades de 19 países asiáticos iniciaram várias discussões para catalisar ações que reduzam o impacto dos poluentes atmosféricos na região da Ásia-Pacífico, durante uma reunião apoiada pelas Nações Unidas, na capital tailandesa, Banguecoque
as autoridades de 19 países asiáticos iniciaram várias discussões para catalisar ações que reduzam o impacto dos poluentes atmosféricos na região da Ásia-Pacífico, durante uma reunião apoiada pelas Nações Unidas, na capital tailandesa, Banguecoque a reunião de Banguecoque terá como foco a redução de poluentes climáticos de curta duração (SLCP, na sigla inglesa), como o carbono negro, metano, ozono troposférico e alguns hidrofluorcarbonetos (HFC), que são responsáveis por uma parcela significativa do aquecimento global e por efeitos prejudiciais sobre a saúde humana, a agricultura e os ecossistemas. Segundo um estudo divulgado em 2011 pelo Programa das Nações Unidas do Meio ambiente (UNEP), uma ação agressiva que reduzisse os SLCP até 2030 poderia evitar dois milhões de mortes prematuras e perdas de culturas anuais de mais de 30 milhões de toneladas por ano. Também ajudaria a travar o aquecimento global até 2050 e trazer benefícios climáticos significativos a nível regional. O estudo também mostra que a Ásia é uma das regiões que poderia beneficiar ao máximo da redução de SLCP, com medidas orientadas para o setor dos transportes que melhorariam significativamente a qualidade do ar; ou a redução de emissões de metano das minas de carvão para beneficiar as plantações. a redução dos níveis de SLCP também travará o tempo de derretimento das neves do Himalaia, bem como a redução da interrupção da monção asiática sul.