a ofensiva aérea desencadeada pelas tropas israelitas nos arredores de Damasco teve como alvo um centro de pesquisas de armas biológicas e quí­micas, segundo a imprensa norte-americana
a ofensiva aérea desencadeada pelas tropas israelitas nos arredores de Damasco teve como alvo um centro de pesquisas de armas biológicas e quí­micas, segundo a imprensa norte-americana Os israelistas temem que o regime sírio esteja a tentar transferir armas químicas para os elementos do Hezbollah libanês e terão aproveitado o ataque aéreo da semana passada para bombardear um centro de pesquisas de armas biológicas e químicas, nos arredores de Damasco, revelou esta segunda-feira, o jornal New York Times. Segundo uma fonte militar norte-americana, citada pelo periódico, o ataque teve como alvo uma base de mísseis terra-ar e um edifício anexo, suspeito de ocultar armas químicas, nas proximidades da capital da Síria. a ofensiva foi confirmada domingo, embora de forma indireta, pelo ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak. Já tínhamos afirmado que não concordamos que se deva permitir que sistemas sofisticados de armas sejam transferidos para o Líbano, para o Hezbollah, a partir da Síria, disse Barak, ao discursar numa conferência na alemanha. O presidente sírio, Bashar al-assad, já reagiu ao ataque, acusando Israel de querer desestabilizar e debilitar o país.