Mohammed Morsi decretou o recolher obrigatório em três cidades do país, para tentar travar os confrontos entre os manifestantes e as forças de segurança, e convocou os membros da oposição para um encontro
Mohammed Morsi decretou o recolher obrigatório em três cidades do país, para tentar travar os confrontos entre os manifestantes e as forças de segurança, e convocou os membros da oposição para um encontro O Presidente do Egito, Mohammed Morsi, declarou o estado de emergência em três cidades do país – Port Said, Suez e Ismailiya -, impondo o recolher obrigatório entre as 21h00 e as 06h00, por um período de 30 dias. a medida não impediu, no entanto, que um grupo de manifestantes entrasse em confronto com as forças de segurança, na madrugada desta segunda-feira, 28 de janeiro, na cidade de Ismailiya. Durante o fim de semana, pelo menos 33 pessoas morreram durante as ações de protesto em Port Said, relacionadas com a aplicação da pena de morte a 21 acusados de envolvimento numa rixa que causou 74 vítimas mortais, em fevereiro do ano passado. Entretanto, Morsi convocou os políticos da oposição para uma reunião. Nos últimos dias, milhares de pessoas têm participado em manifestações contra e a favor do Presidente, por causa da nova Constituição aprovada pelo Parlamento egípcio, dominado pelo partido islâmico de Morsi. Os opositores afirmam que a mudança legislativa vai reintroduzir a ditadura no país.