Em resposta ao reforço das sanções aplicadas pelas Nações Unidas, o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, anunciou a intenção de realizar um novo teste nuclear. O gesto é visto como um desafio aos Estados Unidos da américa
Em resposta ao reforço das sanções aplicadas pelas Nações Unidas, o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, anunciou a intenção de realizar um novo teste nuclear. O gesto é visto como um desafio aos Estados Unidos da américa a Coreia do Norte prometeu este fim de semana a tomada de medidas substanciais e importantes, para responder às novas sanções aplicadas pelo Conselho de Segurança da ONU. O líder do país não especificou o tipo de ações a desenvolver, mas deu a entender que está disposto a avançar com um novo teste nuclear. Numa entrevista à televisão oficial norte-coreana, Kim Jong-un acusou os Estados Unidos da américa (EUa) de travar o desenvolvimento económico dos países, com assanções das Nações Unidas. Isto demonstra mais uma vez que [o Norte] deve defender a sua soberania. Está claro que não pode haver desnuclearização da península coreana antes que o mundo tenha-se desnuclearizado, afirmou Kim Jong-un, em reação às sanções votadas pelo Conselho de Segurança da ONU, como represália pelo lançamento, a 12 de dezembro, de um foguete, considerado como míssil balístico. Um novo teste nuclear seria o terceiro realizado pela Coreia do Norte, após os de 2006 e 2009.