Nas zonas ribeirinhas do rio Limpopo, na província de Gaza, encontram-se mais de 70 mil pessoas desalojadas. Transbordado por força das descargas nas represas e barragens na África do Sul, o rio já inundou a cidade de Chókwí¨ e a baixa da cidade de Xai-Xai

Nas zonas ribeirinhas do rio Limpopo, na província de Gaza, encontram-se mais de 70 mil pessoas desalojadas. Transbordado por força das descargas nas represas e barragens na África do Sul, o rio já inundou a cidade de Chókwí¨ e a baixa da cidade de Xai-Xai
as cheias que se abatem sobre a região sul de Moçambique já provocaram mortos e destruiram milhares de hectares de culturas de milho e arroz, casas; cortaram a circulação rodoviária e propiciaram as condições para eclosão de doenças. Perante este drama, como noutras ocasiões, a Igreja Católica mobiliza-se para ir ao encontro das necessidades da população afetada pela destruição das águas. O arcebispo de Maputo, Francisco Chimoio, através de uma mensagem pastoral, convocou todas as paróquias e comunidades, para que neste domingo, 27 de janeiro, e no próximo (3 de fevereiro), promovam campanhas para recolha de donativos com vista a apoiar as vítimas das cheias. Nas paróquias, os padres e as irmãs, devem ser os primeiros a suscitar participação e solidariedade, organizando ações concretas, determinando os locais para as recolhas e sensibilizando o povo de Deus a envolver-se nos trabalhos de ajuda e apoio a quem necessita, apelou o arcebispo. Francisco Chimoio pediu também que se façam nestas duas semanas, especiais orações, horas de adoração, para o povo vitimado pela fúria das águas. Reze-se nas missas pelas famílias enlutadas e por quantos estão a viver dias de desespero.