Para que as populações reflitam sobre o drama vivido pelas pessoas afetadas por uma doença que é «perfeitamente curável», e sobre o preconceito a ela associado, as Nações Unidas instituí­ram o «Dia Mundial dos Doentes de Lepra», a assinalar domingo
Para que as populações reflitam sobre o drama vivido pelas pessoas afetadas por uma doença que é «perfeitamente curável», e sobre o preconceito a ela associado, as Nações Unidas instituí­ram o «Dia Mundial dos Doentes de Lepra», a assinalar domingoO sexagésimo Dia Mundial dos Doentes de Lepra será celebrado no próximo domingo, 27 de janeiro. a data, instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1954, tem o objetivo de levar as pessoas a refletir sobre o drama vivido pelos doentes que sofrem com esta doença, e também sobre o preconceito a ela associado.

Em todo o mundo, adoecem todos os dias com lepra cerca de 700 pessoas, indicam dados estatísticos. Estima-se que cerca de dez milhões de pessoas sofram atualmente as consequências físicas e sociais de uma doença que é perfeitamente curável. Por ocasião desta data, a associação Italiana amigos de Raoul Follerau, que deve o seu nome ao benfeitor que dedicou a sua vida ao combate da doença, irá promover, em Itália, encontros de sensibilização nas escolas, paróquias e outras instituições, bem como uma série de iniciativas para esclarecer os direitos dos doentes e recolher fundos em favor das pessoas afetadas.