a atual crise no Mali já provocou graves violações dos direitos humanos, incluindo execuções extrajudiciais, violações e torturas, segundo as Nações Unidas. aumento das tensões étnicas pode ter consequências alarmantes neste país da região do Sahel
a atual crise no Mali já provocou graves violações dos direitos humanos, incluindo execuções extrajudiciais, violações e torturas, segundo as Nações Unidas. aumento das tensões étnicas pode ter consequências alarmantes neste país da região do SahelUm relatório do alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos (aCDH) foi compilado por uma missão que esteve no Mali e nos países vizinhos, em novembro, e nele se detalham violações dos direitos humanos, que têm sido realizadas desde janeiro de 2012, quando a luta entre as forças do governo e rebeldes tuaregues eclodiu no norte do país, resultando depois na tomada do controlo da região por radicais islamistas.

Este relatório mostra que a atual situação dos direitos humanos está ligada a questões antigas e não resolvidas, e que as violações dos direitos humanos foram cometidos tanto no Norte como nas áreas sob controlo do governo – no centro e sul do Mali.

Entre os factos relatados dá-se conta que membros do Movimento Nacional para a Libertação de azawad terão utilizado estudantes como escudos humanos para forçar as forças militares a renderem-se e posteriormente executaram 94 dos 153 soldados capturados. Vários soldados tuaregues também foram vítimas de represálias por membros do exército no Norte do Mali, que supostamente matou nove rebeldes em Timbuktu, em fevereiro.