Está a decorrer, até 20 de janeiro, em Cuamba, Moçambique, o Capítulo Geral das Irmãs da Imaculada Conceição, mais conhecidas por Irmãs Diocesanas de Lichinga. Uma ocasião para traçar um caminho renovado de doação e evangelização
Está a decorrer, até 20 de janeiro, em Cuamba, Moçambique, o Capítulo Geral das Irmãs da Imaculada Conceição, mais conhecidas por Irmãs Diocesanas de Lichinga. Uma ocasião para traçar um caminho renovado de doação e evangelização as Irmãs da Imaculada Conceição de Lichinga, Moçambique, elegeram esta quarta-feira, 16 de janeiro, a nova superiora geral, Maria Cacilda Benete, e o seu conselho. a génese desta congregação moçambicana, a primeira no país, remonta a 4 de novembro de 1946, quando o padre Oberto abondio, missionário da Consolata e superior da missão de Mepanhira, no sul do Niassa, reuniu oficialmente seis jovens vocacionadas para as iniciar na Vida Religiosa. a direção da obra foi confiada às Missionárias da Consolata. No dia 8 de dezembro de 1948, realizou-se a primeira cerimónia de profissão religiosa do primeiro grupo de Irmãs. ao longo dos anos, a obra tem crescido com segurança e decisão.com a independência de Moçambique em 1975, a jovem congregação atravessou grandes dificuldades devido ao abandono de muitas irmãs professas e as dificuldades colocadas pelo regime político. Nos últimos 20 anos, a congregação das Irmãs da Imaculada Conceição tem-se consolidado e conta hoje com meia centena de membros. Prestam o seu serviço missionário nas dioceses de Lichinga, Nampula, Gurué e Maputo.