a história da salvação é a história da relação de Deus com o homem, progressivamente revelada, disse Bento XVI na audiência geral desta quarta-feira, dia 16
a história da salvação é a história da relação de Deus com o homem, progressivamente revelada, disse Bento XVI na audiência geral desta quarta-feira, dia 16 Deus dá-se a conhecer, revela-se, entra na história, agindo por meio de mediadores, como Moisés, os Juízes, os Profetas, que comunicam ao seu povo a Sua vontade, explicou o Papa. Mas é com Jesus Cristo que esta revelação alcança a sua plenitude. N’Ele, Deus vem visitar a humanidade, de um modo que excede tudo o que se podia esperar: fazendo-Se homem.com Cristo, concretiza-se um desejo que permeava todo o antigo Testamento: ver a face de Deus. É através do mistério da Encarnação que Deus assume uma face humana. Jesus mostra-nos o rosto de Deus e por isso é o Mediador e a plenitude de toda a revelação: n’Ele vemos e encontramos o Pai; n’Ele podemos invocar a Deus como Pai; n’Ele temos a salvação, acrescentou Bento XVI. Para ver a face de Deus, devemos seguir a Cristo, toda a nossa existência deve ser orientada ao encontro com Ele, ao amor por Ele; um lugar privilegiado tem que ter o amor ao próximo, aquele amor que, à luz do Crucifixo, nos faz reconhecer a face de Jesus no pobre, no fraco e no sofredor. Recorrendo, de 18 a 25 de janeiro, a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, Bento XVI fez um apelo à unidade, convidando a pedir a Deus com insistência o grande dom da unidade entre todos os discípulos do Senhor. a força inexaurível do Espírito Santo nos estimule para um compromisso sincero de busca da unidade, para que todos juntos possamos professar que Jesus é o salvador do mundo. Na saudação aos peregrinos, o Papa teve uma palavra de agradecimento para o grupo Cantorias de Viseu que interveio durante a audiência.