Episódios de violência entre grupos armados forçaram o padre a construir um muro de betão em redor da igreja, numa cidade do México. as janelas do templo foram reforçadas com placas metal para impedir a entrada de balas
Episódios de violência entre grupos armados forçaram o padre a construir um muro de betão em redor da igreja, numa cidade do México. as janelas do templo foram reforçadas com placas metal para impedir a entrada de balas À primeira vista, quem chega à paróquia de Santa Teresa d’Ávila, a oeste de Monterrey, no México, pode pensar que está a entrar num quartel militar ou numa embaixada estrangeira. Mas na realidade, o muro de cimento armado à prova de bomba e as proteções de metal colocadas nas janelas da igreja pretendem apenas garantir a segurança dos fiéis durante as celebrações religiosas. Farto de assistir a episódios de violência entre grupos rivais e a confrontos entre as forças de segurança e os delinquentes, que provocaram a morte a muitos inocentes, o pároco local decidiu levantar um muro de betão com cinco metros de altura em redor da igreja, reforçar as janelas do templo com placas de metal que impedem a entrada de balas perdidas, e contratar uma equipa de nove guardas para vigiarem a paróquia 24 horas por dia. Um destes conflitos durou cerca de 40 minutos… era um caos. as pessoas não sabiam o que estava a acontecer. Justamente por isso colocámos também dois semáforos dentro da igreja. Vermelho significa confrontos, mortes ou mobilização da polícia armada; amarelo, veículos suspeitos ou pessoas armadas fora da igreja; e verde significa que o caminho é seguro, explicou Scott Eichhorst à agência Fides. Segundo o sacerdote, só ao domingo, celebram-se na paróquia 15 missas, com a participação total de cerca de oito mil pessoas. Muitas delas tinham a vida em risco por causa dos episódios de violência. Em 2012, de acordo com as estatísticas divulgadas pela Procuradoria-Geral da Justiça do Estado, foram assassinadas 1. 107 pessoas no México, sem contar com as mortes não declaradas.