População está isolada, sem alimentação, eletricidade e privada de outros bens de primeira necessidade.como se encontra cercada pelas tropas do regime e os soldados da oposição, tentar fugir pode ser uma sentença de morte
População está isolada, sem alimentação, eletricidade e privada de outros bens de primeira necessidade.como se encontra cercada pelas tropas do regime e os soldados da oposição, tentar fugir pode ser uma sentença de morte Os moradores da aldeia cristã de Yaakoubieh, no norte de aleppo, na Síria, estão isolados, extenuados e sem acesso aos bens de primeira necessidade, por causa dos confrontos entre as forças da oposição e as tropas do regime de Bashar al-assad. Os cerca de mil fiéis, entre greco-ortodoxos e católicos latinos, encontram-se em condições desumanas e se tentam fugir correm perigo de morte. O alerta foi dado pelo frade franciscano François Kouseiffi, pároco da igreja de São Francisco em Hamra (Beirute), no Líbano, que assegura assistência a cerca de 500 refugiados sírios. a situação é muito grave. Os fiéis estão presos. Estamos a tentar ajudá-los a vir para o Líbano. Eles lançaram o alarme para a sua sobrevivência, mas correm o risco de morrer no silêncio geral, disse o sacerdote à agência Fides. Os cristãos sírios pagam o preço da desestabilização do país e sofrem como os outros cidadãos, mas como minoria, são um dos grupos mais vulnerável. Entre os cerca de quatro milhões de refugiados sírios, 500 mil são cristãos. a situação humanitária torna-se ainda mais grave pelo facto de ter chegado o inverno e o frio.