Está concluí­da a restauração dos frescos de Rafael. O trabalho, pintado entre 1511 e 1514, foi assegurado pelos melhores especialistas de restauro do Vaticano
Está concluí­da a restauração dos frescos de Rafael. O trabalho, pintado entre 1511 e 1514, foi assegurado pelos melhores especialistas de restauro do VaticanoOs frescos da famosa Sala de Heliodoro de Rafael, nos Museus do Vaticano, foram limpos e restaurados, anunciou antonio Paolucci, diretor dos Museus. a partir de agora, a principal obra de arte de Rafael, é oferecida à admiração de qualquer pessoa, referiu o responsável, citado pelo L’Osservatore Romano, o jornal do Vaticano.
O conjunto majestoso, pintado entre 1511 e 1514, pode a partir de agora ser contemplado no seu todo, adiantou o diretor dos Museus. Os frescos foram todos observados, ligeiramente limpos, restaurados quando necessário, e sobretudo minuciosamente analisados e estudados, disse Paolucci.
Os melhores especialistas de restauração do Vaticano, dirigidos por Paolo Violoni, foram encarregados pelo trabalho. O professor arnold Nesselrath, especialista em História da arte do Vaticano e especialista de renome mundial em Rafael, acompanhou a equipa.
a Sala está forrada com quatro frescos muito conhecidos: a Missa de Bolsena, o encontro de Leão I, o grande e atila, a expulsão de Heliodoro do templo e a libertação São Pedro, obra de arte caracterizada pelo contraste violento entre claros e escuros, que mostram a libertação do apóstolo da prisão por um anjo.