O enviado especial das Nações Unidas e da Liga írabe para a Síria afirmou esta quinta-feira que o atual presidente sírio não tem condições para integrar um possível governo de transição
O enviado especial das Nações Unidas e da Liga írabe para a Síria afirmou esta quinta-feira que o atual presidente sírio não tem condições para integrar um possível governo de transição apostado em encontrar uma solução para a guerra civil que se arrasta na Síria há 21 meses e já fez mais de 60 mil mortos, o enviado especial da ONU e da Liga Árabe, Lakhdar Brahimi, afirmou esta quinta-feira, 10 de janeiro, que o presidente Bashar al-assad não tem condições para integrar um futuro governo de transição no país. Brahimi vai reunir-se amanhã, sexta-feira, com os representantes da Rússia e dos Estados Unidos da américa (EUa), numa tentativa de alcançar uma proposta negociada para um acordo de paz. Entretanto, o número de refugiados continua a aumentar e perto de 70 mil pessoas, muitas delas menores, encontram-se expostas ao frio do inverno em vários pontos do país. Indiferente, assad fez um discurso ao povo sírio, rejeitando qualquer negociação com a oposição, que acusa de estar manipulada pelo estrangeiro. O governante exige que os países vizinhos parem de apoiar a oposição armada como condição para reiniciar o diálogo – com aqueles que não traíram o país – e convocar novas eleições.