a imposição do Conselho de Segurança das Nações Unidas de sanções aos dois grupos armados ativos no leste da República Democrática do Congo foi saudada pela representante da ONU para a violência sexual relacionada com conflitos
a imposição do Conselho de Segurança das Nações Unidas de sanções aos dois grupos armados ativos no leste da República Democrática do Congo foi saudada pela representante da ONU para a violência sexual relacionada com conflitos Dois grupos armados ativos no leste da República Democrática do Congo – as Forças Democráticas para a Libertação do Ruanda (FDLR) e o Movimento 23 de março (M23) – viram o Conselho de Segurança das Nações Unidas aplicar-lhes sanções, pelos seus crimes de natureza sexual. O comité de sanções do Conselho de Segurança para a RDC apontou o caminho ao concentrar-se nos crimes de violência sexual, anotou a representante especial do secretário-geral sobre Violência Sexual em Conflitos, Zainab Hawa Bangura. Saúdo, também, a acusação do tenente-coronel Eric Badege e de Jean-Marie Lugerero Runinga, do M23, por graves violações dos direitos humanos e do direito humanitário internacional, acrescentou Zainab Hawa Bangura. No último dia de 2012, o chamado Comité 1533 do Conselho de Segurança acrescentou o FDLR e o M23 – bem como os dois militares – à sua lista de pessoas e entidades sujeitas a sanções.