Bento XVI lembrou o sofrimento do povo sírio e pediu o início de um diálogo construtivo, lembrando que o conflito, a manter-se, «não terá vencedores mas apenas vencidos»
Bento XVI lembrou o sofrimento do povo sírio e pediu o início de um diálogo construtivo, lembrando que o conflito, a manter-se, «não terá vencedores mas apenas vencidos» O Papa Bento XVI voltou a lançar um apelo, esta segunda-feira, 7 de janeiro, para um cessar-fogo e um diálogo construtivo na Síria. No discurso perante os embaixadores de todo o mundo, alertou que o conflito não terá vencedores mas apenas vencidos, caso perdure. Falando em francês para o corpo diplomático representativo dos 179 países acreditados na Santa Sé, Bento XVI lembrou os terríveis sofrimentos dos sírios, renovando o pedido para que as armas sejam depostas e que prevaleça o mais rapidamente possível um diálogo construtivo. Durante a intervenção, o Papa pediu também o empenho nas negociações relacionadas com a República Centro-africana, que permitam um regresso à estabilidade e poupem a população dos horrores da guerra civil. E exortou à pacificação dos diferentes conflitos na África subsaariana, em particular no Corno de África, República Democrática do Congo, Nigéria e Mali.