O secretário-geral da ONU tomou nota da «gravidade» dos relatórios mais recentes que indicam ataques aéreos contra alvos neste estado birmanês, onde milhares de civis deixaram as suas casas em 2012 por causa de combates entre governo e rebeldes
O secretário-geral da ONU tomou nota da «gravidade» dos relatórios mais recentes que indicam ataques aéreos contra alvos neste estado birmanês, onde milhares de civis deixaram as suas casas em 2012 por causa de combates entre governo e rebeldes a violência no estado birmanês de Kachin está a preocupar o secretário-geral das Nações Unidas, que tomou nota da gravidade dos relatórios mais recentes que indicam ataques aéreos contra alvos nesta região. Dezenas de milhares de civis foram obrigados a fugir das suas casas. Embora os detalhes desses relatos estejam ainda a emergir e a serem seguidos de perto, Ban Ki-moon apelou às autoridades de Mianmar [nome que o regime militar birmanês deu à Birmânia] para desistirem de qualquer ação que possa pôr em perigo a vida de civis que vivem na área ou intensificar o conflito na região, revela o porta-voz do secretário-geral da ONU, em comunicado. as hostilidades em curso já causaram um deslocamento de civis em grande escala, que continuam a necessitar de assistência humanitária, acrescenta o comunicado. É vital que haja um acesso atempado para a entrega de ajuda a comunidades vulneráveis. Cerca de 75 mil pessoas já foram deslocadas em Kachin e Shan, estados do norte do país, desde que a luta se iniciou em junho de 2011 entre tropas governamentais e rebeldes.