as pessoas vinculadas ao Movimento 23 de março ficam com os bens congelados e proibidas de viajar. Nações Unidas esperam que a medida seja mais uma forma de alcançar a paz
as pessoas vinculadas ao Movimento 23 de março ficam com os bens congelados e proibidas de viajar. Nações Unidas esperam que a medida seja mais uma forma de alcançar a paz O Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou a aplicação de sanções aos rebeldes do Movimento 23 de março (M23), na República Democrática do Congo (RDC), e aos presumíveis aliados ruandeses das Forças Democráticas de Libertação do Ruanda (FDLR). a decisão congela os ativos das instituições ou pessoas vinculadas aos dois grupos. acreditamos que estas medidas ajudarão diretamente no objetivo de uma paz sustentável no leste da República Democrática do Congo e pedimos aos membros do M23 e das FDLR que desertem e se desmobilizem para se desvincularem dos grupos punidos, afirmou a embaixadora dos Estados Unidos da américa na ONU, Susan Rice, em comunicado. O Conselho de Segurança já tinha emitido sanções seletivas, as últimas no final de novembro, contra três chefes militares do M23, mas o grupo não tinha sido punido na totalidade. O movimento foi criado em abril por ex-combatentes do Congresso Nacional para a Defesa do Povo, um grupo étnico tutsi rebelde integrado no exército após um acordo de paz de 2009, cujos termos os amotinados denunciam que nunca foram plenamente aplicados.