Vinte mil crianças participaram na peregrinação anual ao santuário de Fátima sob o tema ” a vida é um dom de Deus ” Não matarás”. Este ano houve várias surpresas.
Vinte mil crianças participaram na peregrinação anual ao santuário de Fátima sob o tema ” a vida é um dom de Deus ” Não matarás”. Este ano houve várias surpresas. Porque a vida é um dom de Deus, “Não matarás”. O lema da peregrinação foi diversas vezes cantado ao longo da eucaristia da peregrinação anual das crianças ao Santuário de Fátima, a 9 e 10 de Junho.
Vindos de diversos pontos do país, os vinte mil meninos e meninas deram um outro colorido ao recinto do santuário. Os bonés amarelos, azuis, vermelhos ou brancos distinguiam-nos uns grupos dos outros. Tal como as t-shirts que cada um envergava. algumas serviam apenas para os distinguir. No caso do grupo do Movimento da Mensagem de Fátima, do algarve, as crianças traziam, além da imagem que caracteriza o movimento, gravadas nas costas três palavras: oração penitência, conversão.
anacleto de Oliveira, o bispo que presidiu à peregrinação, recentemente ordenado, foi durante anos animador e responsável pela organização da peregrinação. O bispo auxiliar do Patriarcado de Lisboa chamou ao altar cinco meninos para o ajudarem a descobrir o significado da cruz de quatro braços colocada no recinto. Os quatro pontos cardeais significam que “o que aprendestes, hoje, tem de chegar ao mundo inteiro”, frisou o prelado. a cruz, só com um braço vertical, voltado para o céu, aponta para Deus, isto é, “as pessoas deixam de matar se olharem para Deus”, disse o bispo.
Para anacleto Oliveira, “esta cruz é a de tantas pessoas, que fizeram como Jesus, que preferiram dar a vida em vez de matar a vida de outros”. Isto em diversas e tão diferentes situações, seja na estrada, nos maus tratos a crianças e idosos, na guerra e com terrorismo, na falta de cuidado com ambiente ou na venda de droga.
Foi também uma celebração recheada de surpresas. 48 cadetes das academia da Força aérea, academia Militar e Escola Naval prestaram honra, à imagem de Nossa Senhora e participaram na eucaristia colocando na cruz faixas com nomes de instituições fatimenses e nacionais que prestam cuidados a favor da vida. São elas: Centro de apoio a Deficientes Profundos João Paulo II, associação “Mãos Unidas”, associação de Defesa e apoio da Vida, Casa de Protecção e amparo de Santo antónio, Centro de Recuperação Infantil de Fátima, Cooperativas de Ensino e Reabilitação de Crianças Inadaptadas, Unicef, Visitadores dos estabelecimentos Prisionais, Leigos para o Desenvolvimento, Sociedade de S. Vicente de Paulo, Cáritas, Cruz Vermelha, Bombeiros Voluntários, Corpo Nacional de Escutas
antes, no início das cerimónias, foram os militares que trouxeram o andor de Nossa Senhora até ao altar instalado, como habitualmente no recinto. Depois, na consagração, estiveram em sentido e foram as trombetas do exército que fizeram soar o fim deste momento.
a presença dos cadetes nesta cerimónia fica justificada pelo tema da peregrinação: “Não matarás”. O capelão da Marinha, padre José Ilí­dio, explicou que “as Forças armadas devem garantir a paz para não se fazer a guerra”.
a última surpresa veio pelo ar. O barulho começou a ouvir-se e cinco paraquedistas desceram dos céus, aterrando em pleno recinto. Bastante aplaudidos, os paraquedistas entregaram simbolicamente ao presidente da celebração a surpresa. Depois eles próprios participaram na distribuição, a cada criança, de um fio e uma cruz de madeira com a inscrição: “Não matarás”. Enquanto esperavam que a surpresa chegasse, as crianças rezaram e cantaram, pela vida. Participaram nesta peregrinação 90 mil pessoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *