Num país marcado por 50 anos de guerra todos os anos se atribui um prémio de paz. Uma vez mais vão abrir as postulações a este prestigiado prémio.
Num país marcado por 50 anos de guerra todos os anos se atribui um prémio de paz. Uma vez mais vão abrir as postulações a este prestigiado prémio. Todos os anos se premeia uma iniciativa que contribuí­a de forma destacada a concretizar e realizar processos de paz e de desenvolvimento a nível local, regional ou nacional, e que sejam um contributo para a solução do conflito armado.
é um reconhecimento concedido pelo Programa das nações Unidas para o Desenvolvimento, a Friedrich Ebert Stiftung na Colômbia (Fescol) y um conjunto de meios de comunicação importantes tais como: El Tiempo, El Colombiano, Caracol Rádio e Televisão e a Revista Semana.
Uma nova convocatória ao Prémio Nacional de Paz vai ser aberta no próximo sete de Junho, em Toribí­o (Cauca), pois a polícia indígena do povo Nasa no norte de Cauca, com quem trabalham os Missionários da Consolata, foi a ganhadora o ano passado.
Há apenas uns dias esta povoação foi atacada pela guerrilha da FaRC (Frente armada Revolucionária de Colômbia). é um acto simbólico da sociedade civil para reivindicar uma vez mais a sua independência no conflito.
Podem postular-se particulares, organizações sociais, grupos de pessoas, colectivos, pessoas individuais e instituições públicas. as iniciativas podem postular-se a si mesmas. O importante é dar destaque a esta oportunidade para dar visibilidade aos processos de paz e reconciliação que são desenvolvidos por comunidades em várias regiões do país.
Os membros do jurado e os líderes das iniciativas galardoadas até agora também vão estar presentes neste acto. a intenção é insistir na defesa do direito que têm todos os colombianos e colombianas ao desenvolvimento e a uma vida digna, ultrapassando as condições adversas impostas pelo conflito armado.
Iniciativas premiadas:
1999 – Povo Soberano de Mogotes, Santander;
2000 – Projecto Nasa das organizações indígenas do norte do Cauca;
2001 – Programa de desenvolvimento e Paz do Madalena Médio;
2002 – associação de Municípios do alto ariari, no departamento do Meta;
2003 – Colectivo de Comunicações Monte de Maria do departamento de Bolí­var;
2004 – Comité de Produtores de Cacau de Remolinos de Caguán e Suncillas
(Chocaguán) e a polícia indígena do norte do Cauca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *