Vive-se um clima de tensão nos campos de refugiados do Chade. Funcionários da comissão para os refugiados das Nações Unidas foram atacados por chadianos disfarçados, segundo fontes humanitárias.
Vive-se um clima de tensão nos campos de refugiados do Chade. Funcionários da comissão para os refugiados das Nações Unidas foram atacados por chadianos disfarçados, segundo fontes humanitárias. a comissão para os refugiados das Nações Unidas (ONU) viu-se obrigada a retirar os seus funcionários de quatro campos de refugiados do Chade. Neles vivem civis que fugiram, nos últimos dois anos, da violência na região de Darfur, no Sudão.
Em comunicado, a ONU explica que a decisão, que diz respeito aos campos de Iridimi, Touloum, Mile e Kounongou, tem a ver com a instabilidade vivida nos últimos dias. Sete funcionários foram feridos.
O caso mais grave foi no campo de Iridimi. Uma multidão de refugiados armados com paus e pedras atacaram os funcionários da comissão, que tentavam controlar as pessoas que esperavam comida. De acordo com a imprensa internacional, a violência disparou com a intervenção da polícia chadiana. Quatro pessoas perderam a vida e outras quatro ficaram feridas.
Fontes humanitárias contactadas pela agência Misna sublinham que se tratava de grupos de chadianos. Faziam-se passar por refugiados sudaneses para obterem comida, que depois era vendida nas cidades vizinhas. Esta situação motivou o controlo das pessoas a quem era entregue a ajuda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *