a malária é a principal causa de morte na República Democrática do Congo, onde mata 180 mil crianças com menos de cinco anos de idade por ano. assistir pessoas em áreas remotas é um desafio
a malária é a principal causa de morte na República Democrática do Congo, onde mata 180 mil crianças com menos de cinco anos de idade por ano. assistir pessoas em áreas remotas é um desafioUma grave epidemia de malária está a afetar o território da República Democrática do Congo (RDC). Os Médicos Sem Fronteira (MSF) atuam nas províncias de Maniema, Equateur e Orientale onde já trataram mais de 17 mil pessoas. assistir pessoas em áreas remotas é um desafio humano e logístico. « a maioria dos vilarejos onde trabalhamos é inacessível de carro. as nossas equipes e os nossos suprimentos médicos são enviados de moto, canoa ou a pé, afirma Carole Coeur, coordenadora médica da organização. Os MSF desenvolvem atividades de prevenção e de consciencialização. Mas «uma abordagem puramente preventiva, como a distribuição de mosquiteiros, não é suficiente, considera o médico Jorgen Stassijn. «Precisamos de tratar o maior número de pessoas possível, acrescenta o especialista da MSF, a atuar no Equateur. a malária é a principal causa de morte na República Democrática do Congo. Mata 180 mil crianças com menos de cinco anos de idade por ano. as unidades de saúde congolesas têm dificuldades em responder a esta crise adequadamente, devido à falta de recursos, infraestruturas e profissionais formados.