Milhares de pessoas “desapareceram” na Chechénia nos últimos cinco anos. O Observatório dos Direitos Humanos protesta e pede às Nações Unidas que ponham cobro à situação.
Milhares de pessoas “desapareceram” na Chechénia nos últimos cinco anos. O Observatório dos Direitos Humanos protesta e pede às Nações Unidas que ponham cobro à situação. Na Chechénia continuam os “desaparecimentos”, praticados em larga escala. a tal ponto que o Observatório dos Direitos Humanos (HRW) já lhes atribuiu a designação de crimes contra a humanidade.

a União Europeia (UE), em anos anteriores, introduziu na comissão dos direitos humanos das Nações Unidas uma resolução relativa à Chechénia. Causa surpresa que tal não tenha acontecido na sessão deste ano.

a HRW acusa a UE de “virar a cara ao lado” enquanto na Chechénia se continuam a cometer crimes. “Milhares de pessoas desapareceram desde 1999, com o conhecimento das autoridades russas”. Testemunhas afirmam que a atmosfera de total arbitrariedade e intimidação é pior que a guerra.

a HRW desafia as Nações Unidas a adoptar resoluções firmes e duras, de modo que passe a mensagem de que tais práticas terão graves consequências.

Por outro lado, afirma que a grande maioria destes “desaparecimentos” são acção de agentes do governo russo, através de agentes federais ou das forças de segurança chechenas, que ultimamente estão subordinadas às autoridades russas.

Já foram iniciadas mais de 1. 800 investigações, nos últimos cinco anos. até agora ninguém foi condenado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *