Fátima
30ª Peregrinação Anual da Família Missionária da Consolata
Renovar o espírito missionário com criatividade
Texto F.P. | Foto Ana Paula | 15/02/2020 | 18:12
Aproveitando o tema da 30ª Peregrinação Anual da Família Missionária da Consolata – «Atreve-te a seguir Jesus» - o bispo de Tete deixou um apelo à renovação missionária, inspirada na santidade do beato José Allamano
imagem
Nove meses depois de ser ordenado bispo de Tete (Moçambique), o tempo normal para a gestação e nascimento de uma nova vida humana, Diamantino Antunes apresentou-se de espírito missionário renascido e distribuiu palavras de esperança, incentivo e interpelação, ao presidir à 30ª Peregrinação Anual da Família Missionária da Consolata a Fátima, este sábado, 15 de fevereiro.

«A ocasião que hoje nos é dada a celebrar – a peregrinação da Consolata e o 30º aniversário da beatificação do fundador dos missionários e missionárias da Consolata, o beato José Allamano – impele-nos a todos a renovar o nosso espírito missionário com fidelidade e criatividade, conhecendo a riqueza da vida de Allamano e imitando o exemplo da sua santidade e do seu espírito missionário», afirmou o prelado na Eucaristia de encerramento da peregrinação, na Basílica da Santíssima Trindade, no Santuário de Fátima.

Numa homilia repleta de elementos históricos sobre a relação entre as missões em Moçambique e os 75 anos de presença da Consolata em Portugal e de fragmentos auto-biográficos, Diamantino Antunes guardou espaço também para as interpelações, aproveitando as leituras do Evangelho, próprias da memória litúrgica do beato Allamano, para pedir a mesma coragem evangelizadora do apóstolo São Paulo.

«É-nos pedida a nós, cristãos de hoje, a mesma coragem de Paulo, justamente porque hoje surgem à nossa volta, apesar do contexto de liberdade religiosa, ambientes hostis ao Evangelho em que Cristo está particularmente ausente. Pensemos, por exemplo, no mundo da política, da comunicação social, no mundo da cultura e no da investigação científica, no ambiente das universidades… Esses, e muitos outros ambientes, precisam ser iluminados pela luz do Evangelho», sublinhou o bispo de Tete, o primeiro missionário da Consolata português a ser escolhido para o ministério episcopal.

Perante uma assembleia de milhares de peregrinos, Diamantino Antunes terminou como uma «provocação». «Nunca se falou tanto em missão, ou voluntariado missionário, como nos tempos em que correm. Isso é bom, mas Deus pede mais. Pede entrega e compromisso. Pede vidas cheias de esperança, pede homens e mulheres comprometidos para toda a vida com o desafio missionário de levar a mensagem de Cristo a quem ainda não a conhece. Cristo precisa de nós. Atrevamo-nos sempre a segui-lo», afirmou o prelado, apelando a uma cooperação «em todos os setores», num espírito de «dar e receber». O Superior Provincial da Região Europa, Gianni Treglia, prometeu acompanhar e apoiar a nova missão do bispo português.

No final da Eucaristia, animada pelos cânticos e dramatização do grupo de Jovens Missionários da Consolata, os peregrinos seguiram em procissão até à Capelinha das Aparições, onde foi celebrada a saudação e consagração a Nossa Senhora.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.