Mundo
Bispos argentinos preocupados com sofrimento dos indígenas
Texto F.P. | Foto FM | 17/02/2020 | 07:01
Comunidades nativas do Chaco Argentino enfrentam problemas de desnutrição, mortalidade infantil e falta de água potável. Prelados apelam à solidariedade para evitar que a situação se degrade ainda mais
imagem
A Comissão Episcopal da Pastoral Aborígene da Conferência Episcopal Argentina emitiu um comunicado a convidar a sociedade e a comunidade internacional a prestarem atenção, à luz da exortação apostólica «Querida Amazónia», «à realidade angustiante que vivem os povos e comunidades originárias na região do Chaco Argentino, devido à desnutrição e mortalidade infantil, à falta de água potável e outros flagelos».

 «Não podemos dar respostas imediatas às urgências sociais e sanitárias que vivem muitas comunidades, mas podemos assumir uma atitude misericordiosa que nos liberte da indiferença e do sensacionalismo mediático e nos faça solidários com o sofrimento dos mais esquecidos», pode ler-se na mensagem, citada pela agência Fides.

Recorrendo às palavras do Papa Francisco, na sua mais recente exortação apostólica, os bispos advertem que «uma sociedade que não sabe cuidar das crianças e dos grupos mais vulneráveis, corre sérios riscos de implosão e morte», e deixam um alerta: «Não podemos hipotecar o nosso futuro nem deixar que nos roubem a esperança».

Em jeito de conclusão, a mensagem reitera a necessidade de se escutar o grito das comunidades indígenas, que interpela a Igreja e a sociedade, e desafia a dialogar com as organizações da sociedade civil, com o governo local, provincial e nacional, a fim de se encontrarem soluções concretas que modifiquem «a trágica realidade atual».
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.