A Missão Conta
Mãos a obra
Nova maternidade ajuda a reduzir partos em casa
Texto F.P. | Foto DR | 02/02/2020 | 13:09
Espaço atual, criado pelos missionários, tem capacidade para receber apenas uma paciente de cada vez. E muitas mulheres acabam por dar à luz em casa, para evitar longas caminhadas até às unidades de saúde mais próximas
imagem
Quando foi construído, há mais de duas décadas, o dispensário de Mgongo, no sul da Tanzânia, era suficiente para responder às necessidades da população. Mas com o passar dos anos, e o crescimento demográfico, a única vaga disponível na maternidade tornou-se manifestamente insuficiente para responder ao aumento da procura e às necessidades da população.

Cientes destas limitações, e das dificuldades que representam para as mulheres grávidas da pequena aldeia rural, os missionários da Consolata presentes na região decidiram avançar com um projeto para construção de uma nova maternidade, dotada de equipamento e de técnicos de saúde, que proporcionem as condições adequadas para que as mulheres deem à luz sem complicações para elas e para os filhos.

Mgongo fica a cerca de 10 quilómetros da capital da província, Iringa, e a mais de 500 de Dar es Salaam, a principal cidade do país. A economia local assenta na agricultura de subsistência, em particular na produção de milho, feijão e girassol. Em 1993, os missionários inauguraram na localidade um centro para acolhimento de crianças de rua, num complexo que alberga ainda uma escola técnica com cursos de carpintaria, calçado e mecânica, e um dispensário, onde está integrada a atual maternidade.

Quando a cama desta unidade de saúde maternoinfantil está ocupada, as mulheres grávidas, por falta de recursos, são forçadas frequentemente a caminhar longas distâncias para chegar a outras unidades de saúde mais próximas, onde possam receber assistência durante a gravidez e dar à luz. Porém, «algumas mulheres desanimam e acabam por fazer o parto em casa, correndo riscos, não só para elas, mas também para os recém-nascidos», explicam os missionários promotores do projeto.

Logo que a nova infraestrutura esteja concluída, com a ajuda de doadores italianos, serão iniciados programas de sensibilização, educação em saúde e aconselhamento pré e pós-natal. Com esta iniciativa, os missionários pretendem contribuir para a redução do número de gestantes que dão à luz em casa e, consequentemente, para a diminuição da taxa de mortalidade materna e infantil.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.