Mundo
Malawi carece de ajuda alimentar urgente
Texto F.P. | Foto Lusa | 25/01/2020 | 13:16
A queda do preço da compra de folha de tabaco reduziu significativamente o rendimento das famílias da região centro do país, que enfrentam também o aumento de preço dos alimentos básicos
imagem
O governo do Malawi anunciou esta semana que vai precisar de 46 milhões de euros para comprar milho e outros víveres para distribuir pelos quase dois milhões de pessoas que estão a enfrentar uma situação de insegurança alimentar. O número de famílias com fome tem vindo a aumentar nos últimos oito meses, devido à subida do custo de vida e à quebra nos preços de venda da folha de tabaco.

Um relatório recente do Comité de Avaliação de Vulnerabilidade do Malawi refere que os altos preços dos alimentos básicos, a inflação de alimentos e dos preços de combustíveis, estão a reduzir o poder de compra das famílias vulneráveis em todo o país. No entanto, é nos distritos de Balaka, Neno e Nsanje que há mais população afetada pela fome.

A crise está a afetar também o setor do ensino. Os professores ainda não receberam o salário do mês de dezembro e entraram em greve, obrigando ao encerramento das escolas primárias públicas. Milhares de alunos, com idades entre os cinco e os 13 anos, saíram à rua em todo o país para exigir o pagamento dos ordenados aos docentes, por forma a poderem retomar as aulas.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.