Mundo
Milhares de nigerianos em risco de serem deportados na Alemanha
Texto F.P. | Foto Lusa | 19/01/2020 | 15:56
Maioria dos pedidos de asilo tem sido rejeitada e há neste momento mais de 12 mil migrantes que já esgotaram todos os recursos legais. O destino provável é a deportação
imagem
As autoridades alemãs receberam mais de 38 mil pedidos de asilo de cidadãos nigerianos, nos últimos três anos, mas a maioria foi rejeitada, o que faz com que existam neste momento mais de 12 mil migrantes que já esgotaram todos os recursos legais e têm de abandonar o país. Prevê-se um aumento significativo das deportações nos próximos tempos.

As deportações da Alemanha para a Nigéria, segundo a agência noticiosa DW, aumentaram de 44, em 2016, para 282, entre janeiro e agosto do ano passado. Foram feitas várias criticas à forma como muitos nigerianos foram deportados, mas apesar das reclamações, os observadores não acreditam que o governo alemão mude de estratégia.

«Diria que não há tantas deportações para a Nigéria como os ministros da Segurança Interna da Alemanha e da União Europeia gostariam. Mas há um medo real de que estas deportações sejam feitas com muito mais rigor do que antes», admite Karl Kopp, do grupo pró-refugiados ProAsyl.

Recorde-se que, o ano passado, alguns jornais nigerianos e cidadãos deportados da Alemanha relataram que foram algemados durante todo o voo de regresso a casa. Outros disseram que foram forçados a tomar medicamentos contra a sua vontade. O governo alemão negou as acusações, tendo sublinhado não ter tido conhecimento de violações aos direitos humanos durante o processo de deportação.

No entanto, rex Osa, ativista nigeriano para os refugiados, contou à DW que os problemas dos deportados continuam à chegada ao país de origem: «Ao chegar ao aeroporto, eles são deixados no portão das cargas sem que ninguém se mostre preocupado com a situação. Têm de implorar por telemóveis para ligar aos familiares e amigos. Alguns dormem na rua durante dias a fio até poderem contactar as suas famílias. Sabemos também que as jovens com filhos, mães solteiras, são abandonadas lá com os seus filhos», denunciou o ativista.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.