+ infoAcontecer
Fátima
«Somos chamados a fazer-nos próximos de qualquer pessoa»
Texto J.B. | Foto Santuário de Fátima | 15/07/2019 | 12:13
O amor tem a capacidade para fazer a humanidade «mudar de perspetiva», destacou o reitor do Santuário de Fátima, realçando que os cristãos são chamados a fazerem-se próximos de «qualquer pessoa que necessite»
imagem

A compaixão «faz-nos mudar de perspetiva, descentra-nos de nós próprios», destacou Carlos Cabecinhas, sacerdote e reitor do Santuário de Fátima, na Eucaristia que teve lugar no recinto de oração do templo da Cova da Iria, na manhã do último domingo, 14 de julho. «É a compaixão que nos faz perceber quem são aqueles que somos convidados a ajudar e de quem somos convidados a fazer-nos próximos. A compaixão concretiza o que significa amar os outros como a nós próprios», explicou o sacerdote.

Carlos Cabecinhas lembrou aos peregrinos o «exemplo de compaixão» três videntes, que «os levou a fazerem-se próximos de quem precisava da sua ajuda: os mais pobres, com quem partilhavam o pouco que tinham, as pessoas que lhes vinham partilhar os seus problemas e dramas e pedir a sua oração, os que estavam longe de Deus, os pecadores, por quem rezavam e se sacrificavam, e aqueles que os maltratavam e a quem, apesar disso, queriam bem».

«Para alcançar a vida em plenitude e cheia de sentido é preciso amar a Deus e o próximo. Somos, por isso, chamados a fazer-nos próximos de qualquer pessoa que necessite de nós, seja amigo ou inimigo, conhecido ou desconhecido. Somos desafiados a fazer-nos próximos de qualquer irmão caído nos caminhos da vida, que, para se levantar, necessite da nossa ajuda e do nosso amor», reforçou Carlos Cabecinhas, citado pelos serviços de comunicação do Santuário de Fátima.

Entre os grupos de peregrinos portugueses presentes no recinto de oração, estiveram cristãos de Vilar de Figos, Prazins e Santiago de Esporões (Braga). Deslocou-se também à Cova da Iria um grupo de doentes oncológicos da paróquia de Pinhel, na Guarda. Os Bombeiros Voluntários de Coimbrões, no Porto, também estiveram de visita a Fátima, assim como os fiéis das paróquias do Divino Salvador da Portela de Sousã e de Santa Cristina, de Viana do Castelo. Os membros do movimento Luzeiros de Santa Maria, da Aliança de Santa Maria, também estiveram na Cova da Iria.

O recinto de oração acolheu também grupos de peregrinos provenientes de Espanha, Itália, França, Alemanha, Bélgica, Áustria, Polónia, Malta, Reino Unido, Hungria, Brasil, Colômbia, Estados Unidos da América, Costa do Marfim, Indonésia e Ilhas Maurícias.

Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.