+ infoAcontecer
Mundo
ONU ajuda Moçambique a combater doenças animais
Texto F.P. | Foto AIEA | 06/07/2019 | 07:03
Agência das Nações Unidas disponibilizou-se para enviar equipamentos e técnicos especializados para evitar a propagação de doenças, depois da devastação deixada pelos ciclones ter forçado a movimentação dos animais
imagem
A Agência Internacional da Energia Atómica (AIEA) está a enviar equipamentos de laboratório, técnicos especializados e centenas de reagentes para teste rápidos, para ajudar a combater eventuais surtos de doenças animais em Moçambique, depois da passagem dos ciclones Idai e Kenneth, que obrigou a um grande movimento das espécies.

A agência da ONU responde assim a um pedido do Ministério da Agricultura e Segurança Alimentar moçambicano, que pretende prevenir o surgimento de surtos de doenças como a peste suína africana, febre aftosa ou febre do Vale do Rift, que ameaçam a saúde humana e animal.

«As pessoas tendem a afastar os animais das áreas de desastre, então eles misturam-se mais e os surtos de doenças podem aumentar. Quando se tem milhares de animais juntos, basta um único doente para começar uma epidemia», explica Hermann Unger, especialista da AIEA.

O diagnóstico precoce é crucial durante os surtos, pois permite aos agricultores e veterinários a tomada de medidas necessárias de controle e mitigação rapidamente, como campanhas de isolamento e vacinação. Nesse sentido, o pacote de emergência foi enviado para o Laboratório Central de Veterinária, em Maputo, e para laboratórios nas cidades de Chimoio e Pemba, localizadas nas regiões centro e norte, que foram mais afetadas pelas cheias.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.