+ infoAcontecer
Mundo
Falta de chuva deixa milhões de pessoas sem alimentos na Somália
Texto F.P. | Foto Lusa | 22/05/2019 | 08:49
Estimativas indicam que 18 por cento da população pode ficar em situação de insegurança alimentar. Número de crianças admitido nos centros de saúde com sintomas de desnutrição é preocupante
imagem
Um novo estudo da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) estima que a escassez de chuva prevista para os próximos meses, de julho a setembro, pode deixar cerca de 18 por cento da população em risco de fome. Este índice de insegurança alimentar é 40 por cento mais alto do que as estimativas feitas no princípio do ano.

Segundo Mario Zappacosta, economista da FAO, a organização também está preocupada com o número de crianças que sofrem de desnutrição e que foram admitidos nos centros de alimentação terapêutica desde o início do ano, assim como com a quantidade de animais em más condições.

«Os pastores das zonas mais afetadas pela seca viram-se obrigados a sacrificar as crias dos seus animais, já que não têm suficiente comida e água para eles», sublinhou o representante da FAO na Somália, Serge Tissot. As previsões agora divulgadas baseiam-se em dados recolhidos por especialistas, que incluem várias análises da precipitação e das temperaturas, e que preveem a pior seca no país dos últimos anos.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.