+ infoAcontecer
Fátima
Peregrinação internacional aniversária de maio
Cardeal quer pais mais empenhados na transmissão da fé
Texto F.P. | Foto Santuário de Fátima | 13/05/2019 | 11:16
Num mundo marcado pelo consumismo, pela ânsia de fama e influência, o arcebispo de Manila convida os fiéis a refletirem sobre a formação que estão a dar aos seus filhos, na forma como vivem a fé e se relacionam com os mais necessitados
imagem
O arcebispo de Manila (Filipinas) e presidente da Cáritas Internacional, Luís Antonio Tagle, aproveitou a homilia da Missa de encerramento da peregrinação internacional aniversária, no Santuário de Fátima, para convidar os milhares de fiéis que se concentraram no recinto de oração a refletirem sobre a educação espiritual que estão a dar aos seus filhos. 

«O nosso mundo de hoje tem imagens de uma vida `abençoada´: muito dinheiro, o último modelo de roupas, carros, perfumes e aparelhos eletrónicos, fama, influência, segurança. Estes não são desejos maus, mas Maria, nossa Mãe, faz-nos parar e fazer uma autoavaliação. Será que a fé ainda tem um lugar importante no nosso desejo de uma vida boa?», perguntou o cardeal filipino, esta segunda-feira, 13 de maio. 

Dirigindo-se depois aos pais através do vice-reitor do santuário, padre Vitor Coutinho (que leu a homilia em português), o purpurado questionou-os se estão a alimentar os seus filhos, não apenas com comida, medicamentos e formação, mas também com a palavra de Deus e o serviço aos pobres: «Será que os pais assumem com seriedade a responsabilidade de educar os seus filhos na fé? Será que os pais e os mais velhos dão bom exemplo às crianças e aos jovens em como viver a fé nas decisões e ações da vida quotidiana?» 

A terminar, Luís Antonio Tagle exortou os fiéis a tomarem a Virgem Maria como modelo e exemplo da Igreja e da vida, a escutarem e a porem em prática a palavra de Deus, «mesmo enfrentando dificuldades e perseguições». «Deste modo – concluiu o cardeal – o legado que deixaremos não será apenas sucesso, conquistas, estabilidade financeira e boa reputação», mas também «a pessoa de Jesus» e «o Seu amor pelos abandonados e pelos que sofrem, a Sua solidariedade com os famintos, os sedentos, os despidos, os sem-abrigo, os estrangeiros e os prisioneiros». 

A peregrinação de 12 e 13 de maio voltou a encher o Santuário de Fátima com peregrinos oriundos de mais de 40 países, de todos os continentes. Segundo os serviços de comunicação do templo mariano, inscreveram-se para as celebrações 202 grupos. Até às 00h00 de domingo (12), tinham sido atendidos no Posto de Socorros do santuário 312 peregrinos. O serviço de lava-pés tinham acolhido 701 pessoas.
 
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.