+ infoAcontecer
A Missão Conta
Três novos poços para abastecer hospital
Texto Francisco Pedro | Foto DR | 29/04/2019 | 07:03
Projeto para reforçar e modernizar o sistema de abastecimento à rede de saúde de Neisu envolveu a construção de três novos poços, equipados com bombas de água e painéis fotovoltaicos
imagem
Instalado na província Oriental, uma das 11 que constituem a República Democrática do Congo (RDC), o Hospital de Nossa Senhora da Consolata (HNSC), em Neisu, iniciou as suas atividades como dispensário, em 1984, e rapidamente se expandiu, até atingir o estatuto de unidade de referência na região. Com uma área de influência mais alargada, a pedido das autoridades de saúde congolesas, assegura o internamento a cerca de 3.500 pessoas por ano e lida diariamente com grande procura por parte da população local, face à carência de unidades públicas de cuidados de saúde primários, ao isolamento, e às dificuldades de deslocação por falta de transportes e de ligações viárias apropriadas.

Para melhorar o abastecimento de água ao hospital e aos centros de saúde periféricos, os Missionários da Consolata, responsáveis pela fundação e gestão da infraestrutura, lançaram um projeto para construção de três novos poços, equipados com bombas de água e painéis fotovoltaicos. No plano, apoiado financeiramente por uma fundação e dois municípios italianos, foi ainda incluída a compra e instalação de lavatórios e torneiras para a maternidade e serviço de cirurgia de três centros de saúde.
Em paralelo, foram promovidas ações de formação para as chamadas comissões de saúde da aldeia, equipas que atuam como elo de ligação entre a população local e a rede sanitária. Estes elementos são chamados a colaborar ativamente na promoção de campanhas de saúde pública e nas iniciativas de sensibilização junto das comunidades.

Segundo os missionários responsáveis pelo projeto, numa primeira fase foram instruídos sete membros da administração de cada comissão. Os formandos estiveram cinco dias no hospital, onde seguiram as orientações dos profissionais de saúde. A ideia é que, após a formação, transmitam os ensinamentos à população das suas aldeias, nomeadamente no que se refere ao uso adequado da água e das regras básicas de higiene.

A província onde está instalado o HNSC tem uma superfície de 503 mil quilómetros quadrados e cerca 5,5 milhões de habitantes. Metade da região é ocupada por floresta tropical.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.