+ infoAcontecer
Mundo
Guerrilheiros colombianos silenciam armas na Páscoa
Texto F.P. | Foto Samuel Lizarazo | 15/04/2019 | 07:02
Líderes do Exército de Libertação Nacional anunciaram um cessar fogo unilateral durante o período em que os católicos celebram a Semana Santa. E manifestaram-se disponíveis para participar nos diálogos de paz
imagem
O Exército de Libertação Nacional (ELN), considerado o último grupo guerrilheiro em atividade na Colômbia, anunciou esta semana um cessar fogo unilateral entre 14 e 21 de abril, para permitir aos católicos que celebrem o período pascal com tranquilidade. No comunicado, é ainda manifestada a disponibilidade para que sejam retomadas as negociações de paz encerradas pelo governo colombiano.

«Realizaremos um cessar-fogo unilateral de operações ofensivas nesta Semana Santa. Durante esses dias, agiremos de forma defensiva, ou seja, só responderemos se formos atacados. E reiteramos a decisão de avançar para a paz, de continuar com os diálogos e a mesa de conversações», refere o documento.

O diálogo entre este grupo guerrilheiro e o governo tinha sido iniciado em 2017, pelo ex-Presidente Juan Manuel Santos, mas foi suspenso pelo atual Chefe de Estado, Ivan Duque, que assumiu o cargo em agosto passado, com a bandeira de modificar o pacto com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) e endurecer as condições das negociações com o ELN.

Duque cortou completamente com o diálogo depois dos rebeldes terem detonado um carro-bomba, em janeiro passado, numa academia da polícia, em Bogotá. Além do bombista, 21 recrutas morreram no ataque. E o Alto Comissário para a Paz, Miguel Ceballos, já reiterou à imprensa que os diálogos só serão iniciados se houver um cessar dos sequestros e de toda a ação criminosa por parte do ELN.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.