+ infoAcontecer
Fátima
Primeiro seminário de Fátima retratado em exposição
Texto J.B. | 15/02/2019 | 08:42
Nova mostra destaca duas figuras envolvidas na investigação e propagação da mensagem de Fátima por Portugal e por todo o mundo. A exposição pode ser conhecida no Consolata Museu
imagem

Objetos ligados ao Seminário de Nossa Senhora de Fátima, o primeiro a ser erguido na Cova da Iria, e atualmente conhecido como Seminário da Consolata, fotografias inéditas do arquivo fotográfico da revista FÁTIMA MISSIONÁRIA, e relíquias do cónego Manuel Nunes Formigão, apelidado de «Apóstolo de Fátima» e primeiro investigador dos relatos dos pastorinhos, dão forma à exposição «Consolata – 75 anos em Portugal».

A mostra abre ao público este sábado, 16 de fevereiro, no Consolata Museu, em Fátima. A data da inauguração assume especial importância, uma vez que tem lugar nesse dia a 29ª Peregrinação da Família da Consolata a Fátima. Com esta iniciativa, pretende-se «dar a conhecer alguns dos principais momentos da presença dos missionários da Consolata em Portugal», destacando, de forma particular, João De Marchi, sacerdote que fundou o instituto em solo nacional, tendo sido um «educador, formador» e «valoroso missionário da mensagem de Fátima no país e no mundo».

A exposição apresenta ainda um «estudo comparativo da fisionomia espiritual do padre João De Marchi e do venerável cónego Manuel Nunes Formigão, fundador da Congregação das Irmãs Reparadoras da Nossa Senhora de Fátima». O estudo dedicado à «ligação cooperativa institucional» torna-se revelador da «enorme devoção mariana que ambos os sacerdotes possuíam».

A mostra conta com a colaboração do Centro de Estudos de História Religiosa da Universidade Católica Portuguesa de Lisboa, através da investigadora Margarida Rézio, indicam os serviços de comunicação do Consolata Museu | Arte Sacra e Etnologia, em comunicado. A exposição pode ser conhecida até 26 de maio de terça-feira a domingo. Até março, a mostra pode ser visitada das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00. De abril a maio, a exposição pode ser vista entre as 10h00 e as 13h00, e entre as 14h00 e as 18h00.

Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.