+ infoAcontecer
Mundo
Migrações em África podem melhorar rendimentos
Texto F.P. | Foto Lusa | 03/06/2018 | 15:49
Relatório de agência das Nações Unidas conclui que a migração entre países africanos pode acelerar o crescimento e transformar positivamente a economia do continente
imagem
A migração regulada no continente africano pode fazer crescer o rendimento «per capita» 3,5 por cento ao ano e contribuir para o desenvolvimento económico quer dos países de origem, quer dos países de destino, revela o mais recente relatório da Conferência da ONU sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD, na sigla em inglês).

«Os migrantes trazem capacidades e conhecimentos técnicos. Podem contribuir para o aumento da produtividade e gerar mais impostos. Ao mesmo tempo, podem dar diferentes tipos de contribuições aos países de origem, ao mandarem dinheiro de volta para as famílias e amigos. Também investem nos países de origem, contribuem para intensificar o comércio entre os dois países e contribuem para a transferência de tecnologia», explicou um dos responsáveis da UNCTAD.

Historicamente, os africanos mudam-se mais dentro do continente do que para fora dele. No ano passado, segundo a ONU News, 19 milhões de africanos foram viver para outro país africano e cerca de 17 milhões mudaram-se para o exterior. Estes países também receberam 5,5 milhões de pessoas vindas de outros continentes.

Em 2017, o país africano que mais recebeu migrantes foi a África do Sul, seguido da Costa do Marfim, Uganda, Nigéria e Etiópia, todos com mais de um milhão de migrantes. Na Costa do Marfim, estes imigrantes têm o maior impacto económico, cerca de 19 por cento do Produto Interno Bruto.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.