+ infoAcontecer
Portugal
Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Portuguesa
Bispos apelam à prática de uma «ecologia integral»
Texto F.P. | Foto Ana Paula | 13/11/2017 | 16:47
No seguimento dos incêndios e da seca que fustigaram e fustigam o país, os bispos portugueses apelam a uma revisão profunda da relação da humanidade com a natureza, com a vida e com os pobres
imagem
«É tempo de nos sentirmos parte consciente e responsável duma criação que há de ser tomada como um todo e assim mesmo respeitada nos seus ritmos e sinais», afirmou o cardeal patriarca de Lisboa, Manuel Clemente, na sessão de abertura da Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), esta segunda-feira, 13 de novembro, em Fátima.

Recordando as «graves e gravosas que afetaram e afetam o nosso país, entre incêndios e a seca, com tantas perdas de vidas e danos materiais», o purpurado apelou a um revisão profunda da nossa relação com o meio ambiente, no sentido daquela «ecologia integral» a que o Papa Francisco tanto se tem referido, depois da publicação da encíclica «Ladauto si».

Para Manuel Clemente, «respeitar a natureza, proteger a vida e atender aos pobres são atitudes conexas `duma ecologia integral, que inclua claramente as dimensões humanas e sociais´» e que permita tomar o mundo como um todo, «em que humanidade e natureza se entendam globalmente, de modo muito mais integrado».

Em relação aos trágicos incêndios que atingiram o país este ano, o presidente da CEP lembrou um excerto da Nota Pastoral de 27 de abril último, para sublinhar a urgência do que já era pedido nessa ocasião: «É fundamental que todos olhemos a natureza não como uma simples fonte de utilidade e rendimento económico e por isso facilmente sujeita a explorações de tal modo desordenadas que a destroem totalmente. Até mesmo por não nos ser possível viver sem ela, há que respeitá-la e valorizá-la, na sua bondade, harmonia e equilíbrio, como um dom que recebemos e um legado que devemos esforçar-nos por transmitir às gerações futuras»

Manuel Clemente agradeceu ainda a todos os que acompanharam os acontecimentos com solidariedade e oração, apelando à continuidade do esforço que está a ser feito para a «reconstrução de vidas» e de habitações, e a uma maior atenção no futuro às indicações ecológicas da encíclica papal, quer na catequese interna, quer na cultura envolvente.

Quanto à atenção aos mais desfavorecidos, o cardeal patriarca remete para a mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial dos Pobres, que se assinala pela primeira vez a 19 de novembro: «Deus criou o céu e a terra para todos; foram os homens que, infelizmente, ergueram fronteiras, muros e recintos, triando o dom originário destinado à humanidade sem qualquer exclusão». Uma mensagem que pede aos crentes «que reajam à cultura do descarte e do desperdício, assumindo a cultura do encontro».
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.