+ infoAcontecer
Fátima
«Confessei aquele homem ali mesmo»
Texto Juliana Batista | 29/09/2017 | 12:15
Um dos padres que participa na peregrinação dos sacerdotes idosos à Cova da Iria recorda com saudade a quantidade de peregrinos de Fátima que uma vez, de forma espontânea e inesperada, lhe pediram que os confessasse

A Peregrinação Jubilar dos Sacerdotes Idosos e Doentes ao Santuário de Fátima está em andamento. «Esta iniciativa é exatamente fazer justiça à história, a estes sacerdotes que anonimamente aqui ao longo de 100 anos acolheram quem aqui ouviu o apelo à conversão, e estes 20 que vêm participar representam milhares», disse José Nuno Silva, sacerdote responsável pela jornada, na receção aos participantes.

 

Ao longo de largas décadas, os sacerdotes foram os confessores das multidões que afluíram à Cova da Iria. «Em 100 anos, muitos milhares de padres, aqui acolheram muitos milhões de peregrinos», tornando Fátima um «confessionário de Portugal e mais tarde um confessionário global», realçou José Nuno Silva, citado pelos serviços de comunicação do Santuário de Fátima

 

«O principal objetivo desta peregrinação é proporcionar uma experiência gratificante para cada um de vós, porque a vossa idade de maior serviço à Igreja coincidiu na altura em que Fátima se impôs (…) O clero fez Fátima e Fátima fez o clero», disse o sacerdote responsável pela iniciativa.

 

Norberto Cristóvão, um dos padres participantes, foi um visitante de Fátima frequente. «Em outubro de 1959 antes de partir para Angola, para as missões, no fim da Missa, ao descer a escadaria alguém se aproximou de mim, queria-se confessar, e eu ali mesmo confessei aquele homem.»

 

Envolvido neste cenário, o sacerdote recorda que na altura pensou: «Já valeu a pena vir a Fátima, para confessar aquele homem que há muitos anos tinha esquecido este sacramento da reconciliação. Outras pessoas se aproximaram, e não mais parei até às 06h00 do dia seguinte».

 

A jornada destes sacerdotes à Cova da Iria iniciou na última quinta-feira, 28 de setembro, e prolonga-se até este sábado, dia 30, contemplando momentos de oração, reflexão, partilha, formação, e visitas a variados espaços do local de culto, como a exposição «As cores do sol».

Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.