+ infoAcontecer
Mundo
Crise humanitária
Cólera e fome alastram no Iémen
Texto F.P. | Foto Lusa | 16/07/2017 | 07:01
Apesar dos sucessivos alertas e pedidos de ajuda à comunidade internacional, a população continua a enfrentar um surto de cólera e o risco de fome severa, segundo os responsáveis da ONU
imagem
A cólera e o risco de fome estão a afetar a população em quase todo o território do Iémen, enquanto o conflito prossegue e continua a causar deslocamentos massivos, mortes e destruição, alerta o secretário-geral adjunto das Nações Unidas para os Assuntos Humanitários.

Segundo dados da ONU, sete milhões de pessoas, entre elas 2,3 milhões de menores de cinco anos, estão à beira da fome severa e mais vulneráveis às doenças. Além disso, 16 milhões de iemenitas não têm acesso a água potável. Estão identificados mais de 320 mil casos de cólera e cerca de 1.750 mortes causadas pela doença.

«Esta é uma crise criada pelo homem e a escala de sofrimentos do povo iemenita é o resultado do conflito e das violações grave da lei internacional. Não se pode continuar a perder a humanidade por causa da política», destaca Stephen O´Brien.

Para o responsável, o «escandaloso surto de cólera é responsabilidade das partes em conflito e dos atores que além fronteiras lideram, fornecem, combatem e perpetuam o medo e os confrontos». Por isso, pede à comunidade internacional e ao Conselho de Segurança da ONU que façam mais para garantir o cumprimento das leis internacionais.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.