+ infoAcontecer
Portugal
Mulheres portuguesas contra detenção de ativistas
Texto F.P. | Foto PPDM | 10/07/2017 | 12:25
Plataforma para os Direitos das Mulheres manifesta-se solidária com as 10 ativistas detidas na Turquia. Consideram as detenções um ataque contra os direitos humanos e os direitos das mulheres
imagem
«Inaceitável» e um ataque direto aos direitos humanos. É assim que as responsáveis da Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres (PPDM) classificam a recente detenção de 10 ativistas dos direitos humanos, na Turquia. Entre os detidos está a diretora executiva da Amnistia Internacional, Idil Eser

«É inaceitável que duas das principais ativistas dos direitos humanos das mulheres tenham sido detidas no momento em que os ataques contra os direitos das mulheres estão a acontecer a um ritmo alarmante. Vemos esta detenção como um ataque direto ao movimento das mulheres e contra todas as mulheres no país. A luta pelos direitos humanos das mulheres é a luta pelos direitos humanos», referem as ativistas portuguesas numa mensagem publicada na sua página na internet.

Na manifestação de apoio às detidas, as responsáveis da PPDM recordam que elas «têm trabalhado muito para a eliminação da violência, para garantir o acesso das mulheres à justiça e para reforçar a participação política das mulheres», pelo que a sua detenção «não irá dissuadi-las» de continuarem a lutar pelos direitos à igualdade.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.