+ infoAcontecer
Portugal
Portugal demográfico
Número de portugueses continua a diminuir
Texto Eduardo Santos | Opinião | 18/06/2017 | 10:34
O Instituto Nacional de Estatística divulgou, na passada sexta-feira, que em 31 de Dezembro de 2016 a população residente em Portugal foi estimada em 10.309.573 pessoas, menos 31.757 na comparação com 2015

Portugal perdeu mais de 30 mil habitantes em 2016. O número de habitantes em Portugal desceu em 2016 relativamente a 2015. «Nos últimos sete anos, a população de Portugal reduziu-se em 264 mil pessoas, mantendo-se a tendência de decréscimo populacional verificada desde 2010, ainda que se tenha atenuado nos últimos três anos», refere o INE - Instituto Nacional de Estatística. De acordo com os números daquele instituto a taxa de crescimento negativa de 0,31%  reflecte a conjugação dos saldos natural e migratório negativos. Do total de residentes em Portugal, 5.427.117 são mulheres e 4.882.456 são homens.

 

O envelhecimento da população portuguesa acentuou-se em 2016. O número de jovens com menos de 15 anos desceu para 1.442.416, ou seja, menos 18.416 na comparação com o ano anterior, enquanto o número de pessoas com 65 anos ou mais aumentou para 2.176.640, mais 35.816. No ano passado, Portugal tinha 285.616 habitantes com 85 anos ou mais, um número superior em 12.234 àquele registado um ano antes. O número de idosos é superior ao dos jovens desde 2000. Na análise de uma década, o INE refere que, «em 2006, por cada 100 jovens residiam em Portugal 112 idosos, valor que aumentou para 151 em 2016».

 

Quanto ao número de nascimentos aumentou novamente em 2016 para 87.126 nados-vivos, mas não foi suficiente para compensar o número de óbitos, que atingiram 110.535. Assim, o saldo natural negativo manteve-se, ficando nos 23.409, quando em 2015 era 23.011.

Quanto à outra componente da análise da evolução da população, o número de emigrantes (pessoas que saem para morar em outro país) diminuiu e o de imigrante (estrangeiros que vêm residir em Portugal) estabilizou, mantendo-se o saldo migratório negativo, em 8.348, «ainda que mais atenuado na comparação com 2015», infere o INE. Eram 38.273 os emigrantes permanentes em Portugal, menos que os 40.337 estimados para 2015. Os imigrantes ficavam nos 29.925 quando um ano antes eram 29.896.

Em 2016 a idade média da população residente em Portugal estava nos 43,9 anos, tendo aumentado cerca de três anos na última década.

 

Numa análise sucinta em relação aos números agora avançados pelo INE conclui-se que a situação do país continua a ser preocupante em vários aspectos. O mais preocupante é manter-se uma tendência estrutural que não permite o aumento da população. Sem migração de substituição, todas as regiões vão perder população, mesmo o litoral, mas ainda mais nos grandes centros urbanos.

Mas como nem tudo são más notícias, a esperança média de vida à nascença, no triénio 2014-2016, foi estimada em 80,62 anos para o total da população, sendo 77,61 anos para os homens e 83,33 anos para as mulheres, ou seja, verificou-se novo aumento.

Apesar disso ainda há muito a fazer para evitar que este país continue a decrescer. Têm a palavra os nossos governantes. Há necessidade absoluta de traçar políticas capazes de fazer frente a este problema e seguir em frente com soluções adequadas.

Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.