Mundo
Guatemala
Novo grupo armado promete lutar pela natureza
Texto Francisco Pedro | Foto Lusa | 29/03/2016 | 12:14
Filhos e netos de revolucionários criaram um movimento na Guatemala para lutar contra o extrativismo selvagem e o abuso das empresas nacionais e internacionais em territórios indígenas
imagem
«Estamos cansados dos abusos das hidroelétricas, das monoculturas de palmeira, da exploração mineira e petrolífera, e estamos dispostos a dar a vida pela água, pelas montanhas, por toda a herança ancestral que o Criador nos deixou». Esta foi a mensagem deixada pelo subcomandante Toledo, num vídeo posto a circular esta semana nas redes sociais, para anunciar a criação das Forças Armadas Camponesas (FAC), na Guatemala.

O movimento, criado por filhos e netos de revolucionários e lutadores pelo equilíbrio da «mãe natureza», surgiu na região de Ixquisis, no departamento de Huehuetenango, e adverte que não pretende lutar contra as instituições guatemaltecas, mas apenas «contra as empresas extrativas e os seus abusos». Nesse sentido, faz um apelo a todos os camponeses que unam esforços para «expulsar as empresas transnacionais» responsáveis pela destruição da natureza.

«Estamos prontos para agir contra os interesses particulares e corporativos e não vamos deixar que destruam a mãe terra», afirma o líder das FAC na sua mensagem, onde aconselha os responsáveis e funcionários das multinacionais a retirarem-se amigavelmente dos territórios ancestralmente indígenas, antes de se iniciarem as eventuais ações de luta armada.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.