+ infoAcontecer
Mundo
Menino marfinense operado com a ajuda dos portugueses
Texto Francisco Pedro | Foto DR | 15/08/2014 | 08:21
Os esforços de uma jovem portuguesa finalista em medicina e de um conceituado fotógrafo belga, para ajudar menino marfinense a recuperar a mobilidade, começaram a dar os primeiros frutos. Yéo Issa foi operado e está em recuperação
imagem
O menino da Costa do Marfim que tem vindo a ser acompanhado há quase um ano por Maria João Lopes, finalista em medicina, e por Yves Callewaert, realizador e fotógrafo de publicidade, foi finalmente operado numa clínica marfinense, graças à campanha desenvolvida pelos dois e que desencadeou uma onda de solidariedade até nas aldeias vizinhas da povoação onde vive o menor.

Yéo Issa, de nove anos, viajou no início do mês de julho para Bonoua, onde foi submetido a uma intervenção cirúrgica a uma perna. Dada a complexidade da operação, a recuperação só ficará concluída no final do ano. Os custos serão suportados pelos donativos entregues aos Missionários da Consolata, através da campanha «O Yéo pode andar se você ajudar», promovida por Maria João e Yves Callewaert, e apadrinhada pela jurista Marta Rebelo.

O interesse do fotógrafo e da finalista em medicina no caso do pequeno Yéo tornou-se tão contangiante, que antes da partida do menino para a clínica médica, a população das aldeias vizinhas reuniu-se, sem qualquer apelo ou intervenção dos missionários, e juntou 70 euros (uma pequena fortuna naquela região) para ajudar a suportar os tratamentos.

Yéo Issa caiu de uma árvore há uns anos e lesionou-se gravemente numa perna. Os pais investiram todas as suas economias nos tratamentos, mas algo correu mal na intervenção médica e ele ficou com problemas de mobilidade, que se têm agravado com o crescimento. Se não fosse tratado com urgência, podia deixar de andar. Yves e Maria João tiveram conhecimento do caso o ano passado, durante um campo de férias na Costa do Marfim, promovido pelos Missionários da Consolata, e, sensibilizados com a triste história do menino, decidiram unir esforços para o ajudar.

Agora, tudo se encaminha para que possa recuperar a mobilidade, depois de Maria João ter iniciado contactos com especialistas em ortopedia, em Portugal, e criado uma ponte de comunicação com os médicos marfinenses. «Estás ‘repartido’ pelo coração de muitas pessoas e todas vão pensar, rezar ou torcer por ti! És a prova de que a união faz e consegue força para tudo! Vais conseguir!», afirma o padre Ramón Esnaola, um dos missionários da Consolata que está a acompanhar a recuperação do Yéo.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.