+ infoAcontecer
Mundo
Relatório da OIT
Há 215 milhões de crianças que trabalham
Texto Miguel Marujo | Foto Lusa | 30/04/2013 | 10:40
A implementação de medidas de proteção social pode desempenhar um papel fundamental no resgate de menores que tenham sido apanhados na escravidão do trabalho, aponta um novo relatório da Organização Internacional do Trabalho
imagem
O Relatório Mundial sobre o Trabalho Infantil, da Organização Internacional do Trabalho (OIT), defende que diversos tipos de medidas de proteção social – como os sistemas de transferência de rendimento, proteção social, saúde e prestação de garantia de rendimento na velhice –, podem ajudar a reduzir o número de crianças que por todo o mundo são forçadas a trabalhar. A OIT estima que este fenómeno mantém aprisionadas 215 milhões de crianças no mundo.

«Este relatório contribui para uma melhor compreensão das vulnerabilidades económicas e sociais subjacentes ao que gera o trabalho infantil», afirmou Constance Thomas, diretor do Programa Internacional da OIT para a Eliminação do Trabalho Infantil (IPEC, na sigla inglesa), e que foi o autor do relatório.

O documento observa, por exemplo, que o programa brasileiro de transferência de dinheiro «Bolsa Família», que oferece às famílias um subsídio mensal para enviar os seus filhos à escola, tem desempenhado um papel primordial na redução do trabalho infantil, tanto em áreas rurais como em zonas urbanas, em todo o país latino-americano. Da mesma forma, a introdução de um programa de bolsas no Camboja, que envolve também as transferências de rendimento, reduziu o trabalho infantil em 10 por cento.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.